sexta-feira, 24 de outubro de 2008

CUIDADO PESSOAL, AÍ VÊM A TRAPA SUATE!

Gente, com certeza vocês estão acompanhando essa história do seqüestro de Santo André, assim como eu. Não dá para não acompanhar, está saindo até em propaganda de papel higiênico! Principalmente nos canais “tubaína” de tv, como a Record e a Rede TV.

A ação do GATE (Grupo de Ações Táticas Especiais), grupo de elite da polícia de São Paulo no fatídico caso foi tão sutil quanto um elefante dançando balé. Aí a cúpula da polícia, alguns políticos e jornalistas vêm dizendo, tentando tirar o rabo da reta: “Mas em 10 anos o GATE só falhou duas vezes...” Ora, ora, senhores, a polícia nesses casos funciona como um neurocirurgião gripado, estirpando um tumor cerebral: Por melhor que seja o médico, se ele espirra mata o paciente. Se em 10 anos de bons trabalhos, esse neurocirurgião espirrar duas vezes, vão ser dois a menos no mundo.

E no caso em questão a polícia não só espirrou, como tossiu e teve uma convulsão. Tudo ao mesmo tempo! A barbeiragem foi de dar inveja a antiga “Trapaswat” de Didi, Dedé, Mussum e Zacarias.

Teve de tudo, como num verdadeiro freak show: De porta que explode e não caí, à refém liberada e que volta ao cativeiro com a conivência da polícia. O pior foi assistir um pobre de um policial tentando invadir o cativeiro por uma janela, usando uma escada capenga. O coitado só chegou à cena do crime depois que tudo havia passado.

Parece engraçado, mas é sério. E a gente ainda tem que aturar os comandantes da operação, verdadeiros babacas de uniforme, jogando a culpa um em cima do outro. Fico com a frase do brasileiro, que é instrutor da Swat, a verdadeira: “É uma vergonha ser brasileiro e policial, e ter que assistir a tantos equívocos, a tantos desmandos juntos em uma mesma operação.”

Desta forma, caso aconteça alguma coisa, Deus nos livre, não chame a polícia. Faça com eu, chame o Chapolim Colorado, que pelo menos é mais engraçado.


terça-feira, 14 de outubro de 2008

É PRECISO SABER A HORA DE PARAR!

Essa não é apenas uma máxima, é uma verdade universal. O tempo é inexorável para todos, para mim, para você e para os gênios, que não deixarão de sê-los, porém não vão ter mais a saúde, a paciência ou a benevolência de realizar suas proezas tantas vezes seguidas. Zico e Pelé continuam sendo craques, mas se tivessem que disputar um jogo oficial sairiam aos 15 minutos do primeiro tempo.

O tempo é inexorável para o físico e para o cérebro. Se é assim para quem, como nós, possui o cérebro normal, no tamanho padrão, imagina para aquele cidadão ou cidadã que tem o cérebro do tamanho de uma ervilha?

A Xuxa (essa mesmo) é um bom exemplo de indivíduo desprovido de um tamanho encefálico satisfatório, e que passou do ponto. Na verdade passou muito do ponto. Xuxa, que um dia foi uma uva, hoje não passa de uma passa (essa foi horrível...).

Xuxa poderia ter aproveitado a gravidez e ter encerrado a carreira com dignidade, há uns dez anos atrás. Seria ela então um ícone, um ser quase mitológico. Uma espécie de Eva Perón das crianças brasileiras. Mas não!!! Xuxa prosseguiu e hoje disputa audiência com Maísa (é assim que escreve?), uma “mini-petit”, como diria o Marcelo Tas, com seis anos de idade e que muita gente, como eu, acha que é uma anã. O pior, é que nessa briga de IBOPE sem o menor glamour, a velha rainha louca está perdendo feio...

Até o projeto XSPB (Xuxa Só Para Boçaizinhos), que outrora rendeu excelentes dividendos, hoje está fazendo água. O “Xuxa Só Para Bitoladinhos” é uma versão tupiniquim e mal acabada daqueles programas musicais gringos, tipo Hi-Five, Backyardingans (é assim que se escreve?), Barney ou Lazy Town, instrumentos tão malevolamente destinados à lobotomização infantil que fariam Joseph Menguele sentir inveja.

Esta edição do projeto XSPB foi além de qualquer um dos outros, levando a mediocridade à fronteira final. Mais do que horrorizar com sua voz de “cambaxirra ululante” e de surpreender com letras complexas com apenas 4 palavras, (Aí vem o macaco, o macaco, o macaco, o macaco, o macaco...), A velhinha dos baixinhos teve a inebriante idéia de regravar uma canção e colocá-la como ‘música de trabalho”.

Qual música???

Tumbalacatumba-tumba-tá. Esse é o nome da música. Cara, a Xuxa regravou uma música da Vovó Mafalda!!!!!!!!! Quem tem mais de trinta, assim como eu, sabe do que eu estou falando.

TUMBALACATUMBA-TUMBA-TÁ!

Vovó Mafalda cantava isso no “Clube do Bozo”, enquanto Papai Paudo dançava atrás, imitando uma múmia! E a Xuxa regravou!!!! É pra mijar de rir se não fosse absolutamente deprimente.

Roger Daltrey do The Who repetia sempre o lema punk: Viva rápido, morra jovem! Nunca concordei, mas depois disso passei a entender um pouco mais...

segunda-feira, 6 de outubro de 2008

VÃO-SE OS CABAÇOS, FICAM OS DESGOSTOS!

Existem várias frases que definem uma eleição, mas a que eu mais gosto é a do cantor falcão, o brega, parafraseando Machado de Assis: “Vão-se os cabaços, ficam os desgostos!”


A cada ano que passa essa tranqueira de eleição fica pior. Fica pior porque cada vez mais ficamos espremidos entre os candidatos medíocres, os corruptos e os incompetentes. Em algumas ocasiões, os candidatos possuem duas ou todas essas desqualificações ao mesmo tempo. E o pior é que essa gente consegue se eleger, às custas de um povo burro, interesseiro e tão corrupto quanto os facínoras que pedem votos.


É para gargalhar, ou para verter rios de lágrimas, como queiram. Eu prefiro gargalhar, hehehehe. Saca só o exemplo que arrumei.


Resultado final para eleição de vereadores em Duque de Caxias, estado do Rio:

1 – Samuquinha
2 – Chiquinho Grandão
3 – Junior Reis
4 – Juliana Filha do Tião do Táxi
5 – Jonas é Nós
6 – Mazinho
7 – Josemar Padilha
8 – Ricardo da Karol
9 – Grande
10 – Tato
11 – Fatinha
12 – Chico Borracheiro
13 – Maninho do Posto
14 – Moacyr da Ambulância
15 – Gaete
16 - Marquinho Oi
17 – Carlos de Jesus
18 – Eduardo Moreira
19 – Marcelo do Seu Dino
20 – Leide
21 – Ademir Martins


Dos 21 eleitos, mais da metade possui nomes absolutamente bizonhos! Imagina uma sessão da câmara para votação de um projeto: “Srª Vereadora Juliana Fila do Tião do Táxi, a senhora vota a favor do requerimento de autoria dos vereadores Chico Borracheiro, Grande e Chiquinho Grandão, ou vota com o parecer do vereador Marcelo do Seu Dino?”

Mas pode ser pior, “Vamos fazer a chamada dos vereadores presentes: Vereador Jonas?” aí o sujeito responde lá do púlpito: “É nós!”

Pelo visto o comercial de televisão incentivando o voto consciente não deu muito certo. E ainda pedem pra gente acreditar...


segunda-feira, 8 de setembro de 2008

DUNGA ABRIU O OLHO. DESLIGUEM OS APARELHOS!!!

Domingo, 22 h. No hospital uma movimentação diferente no CTI. Dunga, O técnico da seleção brasileira de futebol, abriu os olhos. Os mais otimistas deram vivas, finalmente a seleção estava saindo do coma! Tudo por conta de uma vitória de 3 a 0 sobre o Chile em Santiago.

Vocês viram ao jogo? Eu vi. Galvão Bueno, aquele que deve se aposentar urgentemente, não falou a célebre expressão das olimpíadas “força mental”, mas repetiu a palavra determinação inúmeras vezes, um saco.

Tudo bem, Nosso time jogou razoavelmente melhor, mas o que é Chile? Pintaram o Chile como uma potência mundial. Não é e nunca foi. Tudo bem, não é fácil ganhar deles lá, como não é fácil ganhar do Bangu em Moça Bonita. Poderíamos ter feito uns 8 gols, mas aí entrou em campo o nosso “complexo de craque”, aí ficamos em 3 apenas.

Quarta feira tem jogo contra a Bolívia no Engenhão, prenúncio de mais uma “carne assada”. Tudo indica que Dunga ganhará uma sobrevida no comando da seleção. Acho bom alguém tomar uma atitude e desligar os aparelhos que mantém o Dunga vivo. Como diria o Dr. House, essa melhora é apenas um subterfúgio que a sarcoidose apresenta para ludibriar o sistema imunológico, enquanto continua a destruir o corpo por dentro.

Salvem a seleção enquanto é tempo, desliguem os aparelhos do Dunga!

SPITZ NAS PARAOLIMPÍADAS

Amigos torçam para mim hoje. Estarei competindo na natação, prova de 50 metros, estilo cachorrinho para lobotomizados. Tenho chances de medalha, pois o meu maior concorrente está em coma há 15 anos. Se tudo der certo, conseguirei bater o meu próprio recorde, que é de 2 horas e 27 minutos. Assim poderei levar o nome da família novamente ao topo da natação mundial.

terça-feira, 26 de agosto de 2008

UMA OLIMPÍADA DE EQUIVOCOS I – CHINA BOTA GASOLINA


Talvez estas tenham sido as Olimpíadas mais chatas dos últimos tempos. Em primeiro lugar porque foi na China, um país onde não se pode fazer nada fora do roteiro. E em segundo lugar porque foi na China, um país que tem o fuso horário totalmente diferente do nosso, o que nos obrigou a fazer mágica para acompanhar as competições. A única coisa que alegrou essas Olimpíadas foram os narradores, comentaristas e repórteres, que incentivados pela quebra constante de recordes, soltaram o gogó e se superaram no quesito besteirol. Como essa gente consegue falar tanta merda em tão pouco tempo!

Vamos começar do começo, sem redundâncias. Na cerimônia de abertura a repórter Sônia Bridi da rede Globo (É assim que se escreve?), laureada como primor de repórter, não conseguia terminar uma frase, um raciocínio. Sônia foi dona de momentos como: “A principal diferença da escrita da dinastia Xang para a escrita da Dinastia Ming foi...” Foi? Foi??? Foi o quê, bolas???? Até agora eu não sei, porque ela não completou a frase.

Pedro Bial queria fazer poesia com esporte e cultura. Como poeta Bial é um excelente apresentador de BBB. Suas reportagens eram tão blazê (é assim que se esceve?) e pseudo-intelectuais que me davam mais sono que o maracugina que tomo antes de dormir. Uma beleza...

Soube que a equipe da Band em Pequim teve seu passaporte cassado deixando-os retidos na China. O Motivo? Só podem embarcar seres vivos, não “mortos-vivos”. Gente, de onde desenterraram Álvaro José e Elia Júnior? E Sívio Luiz?! “Vai Bruneba, manda o canhão!” (Sílvio Luiz narrando um lance de ataque do jogador Bruno da seleção brasileira de Handball). Salva-se aí somente o Luciano do Valle, o único que controlou seu lado torcedor e colocou um pouco de bom senso em suas locuções.

Mas incontestável mesmo foi o ouro com direito à recorde mundial de Galvão Bueno. O que é Galvão Bueno narrando jogo? No começo dava vontade de tentar o suicídio ao ouvir Galvão bostejando no microfone. Depois, seguindo o conselho de Cacá, um amigo meu, abstraí e comecei a achar engraçado. Aliás, a coisa mais engraçada das Olimpíadas.

Frases toscas como “China, bota gasolina!” (tradução para o grito de guerra da torcida chinesa), “Bateu um desânimo!” ( na semifinal do vôlei de praia), e “Não agradeça, nós é que agradecemos à você!” (Para Emanuel do vôlei de praia, imaginando que seria a última partida dele em olimpíadas, fato descartado pelo atleta logo após). Porém o que vai ficar pra sempre em minha mente é a expressão “força mental”. Galvão Bueno repetiu essa expressão tantas vezes nas finais do vôlei que eu passei até a contar. Foram mais de 45 vezes, 19 em uma só partida.

Agora falando sério. Galvão, não está na hora de se aposentar não?

UMA OLIMPÍADA DE EQUÍVOCOS II – DERROTAS E DERROTAS

Uma vitória não apaga uma derrota como uma derrota também não apaga uma vitória. Isso é uma verdade. Como também é verdade que no esporte vence sempre o melhor, mesmo que o vencedor só tenha sido melhor por frações de segundos.
Então vamos aos fatos: Não adianta as jogadoras de vôlei de quadra fazerem sinal de silêncio para as câmeras depois da conquista do ouro, porque, por mais que tenha sido brilhante e sensacional, não apaga o fracasso de 2004. Digo mais! O fracasso de 2004 foi fator primordial para o sucesso de hoje.
Não adianta a imprensa e os críticos de plantão mandar lenha em cima da seleção masculina de vôlei pela perda da medalha de ouro. Essa seleção é simplesmente a única na história que se manteve hegemônica durante dois ciclos olímpicos, ganhando seis ligas mundiais, duas copas do mundo, um ouro e uma prata. A seleção perdeu, mas como grande campeã que é, reconheceu que os Estados Unidos são melhores e ponto.
Dizem que a prata para nossa seleção feminina de futebol foi injusta. Não foi. A equipe americana soube jogar o jogo melhor que a nossa. Sabendo da sua inferioridade técnica e da sua superioridade física, soube se defender e, no momento certo, fez o suficiente para alcançar a vitória.

Para terminar, fico com as palavras de Marcelinho, levantador da seleção de vôlei: “Esta medalha de prata tem gosto de prata.” É isso mesmo. “Medalha de bronze que tem gosto de ouro” e “Campeão Moral” fazem parte do discurso dos fracos e perdedores. Juliana Veloso dos saltos ornamentais nunca disse que o seu 16º lugar valeu como ouro, apesar de significar bem mais do que o 6º lugar do Jadel Gregório, ou a ridícula posição do Diego Hipólito (qual foi mesmo?), se compararmos as condições de treinamento e competição da Juliana com as condições desses outros atletas.

Acho que precisamos formar menos “Campeões Morais”...

terça-feira, 19 de agosto de 2008

OLIMPÍADAS I – PERDEMOS MAS GANHAMOS. TOMARA...

Na copa de 90 na Itália, o fiasco da nossa seleção foi nomeado de “Era Dunga”. Dunga carregou o estigma de burro, truculento e desqualificado por 4 anos, até que obteve sua redenção na copa de 94 nos Estados Unidos, onde passou a ser chamado de “Capitão do Tetra”, um marco da combatividade e da perseverança. Na verdade, Dunga é o herói de 94 ou vilão de 90? Para isso, cada um tem uma opinião diferente.

Chegamos então ao ano de 2007. Após outro fiasco da nossa seleção em uma copa do mundo, a CBF chamou Dunga para ser técnico, para ela CBF, um dos heróis da conquista do tetra. A intenção do sr. Ricardo Teixeira era dar um caráter mais disciplinador à equipe e ao mesmo tempo dar um “puxão de orelhas” nas estrelas.

Agosto de 2008. O Brasil toma um chocolate da Argentina na semifinal das Olimpíadas e perde a vaga para a final, contentando-se com a disputa do bronze. Mais que isso. A seleção não vai nada bem nas eliminatórias da copa do mundo. Mais que isso. Após 2 anos de trabalho, o técnico Dunga não conseguiu dar padrão ao time. Sequer conseguiu fazer um time.

Dunga realmente é disciplinador, e só. Dunga sempre foi um combatente, e só. Na verdade, Dunga sempre foi um soldado, um peão, um cão que obedece fielmente às ordens do seu dono. E quando põem o soldado, o peão, o cão no comando, o que ele vai fazer? Nada, esta é a resposta. Porque quem sempre foi acostumado a receber ordens raramente saberá dá-las. Não faz parte da sua essência, do seu pensamento.

A culpa não é do Dunga, e sim de quem o colocou onde ele está. Ninguém pode exigir capacidade de pensamento e reflexão a um cão, a um pau mandado. Para piorar, o pau mandado acreditou que era o dono da situação, o senhor do engenho. Aí revestiu-se de soberba e prepotência, enchendo nosso saco com mau humor, arrogância e um time pífio.

Espero do fundo do meu coração de torcedor que esta derrota nas olimpíadas de 2008, para a mesma Argentina da copa de 90, faça com que o sr. Ricardo Teixeira e sua horda corrijam o erro que cometeram e inaugurem uma nova era na vida de Dunga: A “Era do Ex-Técnico”. Ou é isso, ou pela primeira vez em todos os tempos, ficaremos de fora de uma Copa do Mundo.

OLIMPÍADAS II – CADÊ A MINHA VARA!


Ontem pela manhã aqui, noite em Pequim, no estádio Cocô de Pombo, perdão, Ninho de Pombo, mais uma vez fomos garfados pelo complô internacional que não quer que o esporte tupiniquim saia da 38ª posição no quadro de medalhas. Fabiana Murer, nossa esperança para a prata olímpica ficou sem sua vara de salto.

Procura daqui, cata de lá e nada da vara aparecer. Era um tal de chinês falando, se explicando, e ninguém entendendo lhufas. O negócio é que a vara não apareceu. Até arranjaram outra, mas o estrago já tinha sido feito e Fabiana Murer, totalmente desconcentrada viu 4 anos de trabalho irem pro espaço.

Mas o que aconteceu com a vara? Eu tenho a resposta. Segundo Alvarenga, enviado especial em A Griy Oins, o bairro chinês de Teresópolis, Quem travou a vara da Fabiana foi mesmo Diego Hipólito. Triste com a sentada do domingo, Hipólito resolveu descontrair um pouco a mente e a bunda. Por isso surrupiou o instrumento de trabalho da Fabiana Murer para um inocente jogo de “Pega Varetas”. O problema é que, pelas regras do Diego Hipólito, a vareta tem que ser pega pela compressão das nádegas...

quarta-feira, 13 de agosto de 2008

A BUNDA, O PEITO E O PUNHO

Que o programa da Luciana Gimenez é um lixo todo mundo sabe. E como todo bom programa lixo, os participantes devem ser os tipos mais nauseabundos que se possa imaginar. O programa de ontem não poderia ser diferente.
A personagem principal do “circo dos horrores” foi Sheyla Almeida, a brasileira que mora nos states e que tem os maiores peitos siliconados da América Latina. Na balbúrdia ainda participavam outras pessoas, como a Mulher Melancia e a Tati Macho, ex-BBB.

Cara, o que é essa tal de Sheyla? De que bueiro saiu essa ratazana?? Ela não pode ter os maiores peitos, porque ela não tem peitos, ela tem uma bunda no tórax. Tanto que até a burra da Luciana Gimenez (o mundo vai acabar...) teve a sacada de compara o tamanho da bunda da Melânica, com o peito da tal de Sheyla. Resultado: A bunda torácica venceu a bunda de verdade.

Determinado momento, Luciana Jumenta, perdão, Gimenez pergunta à Tati Macho qual a opinião dela sobre a plástica da tal de Sheyla, a vaca holandesa. Com a coragem que só um ser do sexo masculino pode ter, Tati mandou na lata: “Acho que ela está querendo aparecer!”

Foi o bastante para o pau comer. Foi um festival de xingamentos, ameaças de abandono do programa, uma baixaria tão grande que preferi ir vomitar e dormir. O fato é que estou do lado de Tati, homem pra caramba, ex-BBB. Quem é Sheyla Almeida? Em que ela trabalha?? Qual o requisito dela para freqüentar programas de auditório??? Ela sabe cantar, dançar, faz mágicas?????

Não. Sheyla Almeida vive dos peitos. É do cachê pela aparição em programas deste naipe que ela tira seu sustento. É transformando seu corpo numa aberração que ela põe comida na mesa. Tanto que ela provavelmente será a próxima estrela pornô da Brasileirinhas, num filme que deve se chamar: “Espanhola pra cinco!”

Nada contra, cada um ganha a vida como pode e com o que tem, mas não vem me enganar...

CABÔ CAQUI TU VAI EMBORA!

Renato Gaúcho foi demitido do Fluminense. Eu, como bom rubro-negro, fiquei deveras triste com a notícia. Sim, por mais que pudesse parecer, eu sempre gostei do ex-jogador, ex-tranho e agora ex-técnico Renato. Depois da aposentadoria forçada (pena que não é atrás das grades, ainda...) do sr. Eurico Miranda, Renato assumiu o posto de parlapatão mor dos gramados cariocas.
Sempre com frases de efeito moral e defeito futebolístico, o eterno garoto propaganda da churrascaria Porção (sempre achei que ele era chegado numa lingüiça, para não falar da picanha), fazia-me rir quando, com aquele ar prepotente de “reizinho das laranjeiras”, diziza sandices como: “Nós vamos ganhar a Libertadores e aí vamos brincar no Brasileiro...”

Pelo que tudo indica a demissão do sr. Renato foi decorrência do forte aumento do número de exames e internações por motivos cardíacos, tanto da torcida tricolor, quanto dos torcedores dos outros times, que tiveram síncopes de tanto rir. Tamanho aumento gerou um prejuízo inconteste à Unimed, principal patrocinadora do clube das laranjeiras.

A notícia só não foi melhor para a torcida tricolor porque o novo técnico do time é “Seu Cuca é Eu”, famoso por ter um cubo de gelo em cada pé. Se a fama de Cuca prevalecer, nada poderá tirar o Fluminense da degola...

CALA A BOCA BIAL!

Só para lembrar: No esporte quem faz poesia é o atleta, cabendo ao jornalista apenas narrar o fato. Somente Nelson Rodrigues, Armando Nogueira e Sérgio Porto conseguiram fazer poesia escrita em cima de feitos esportivos, e definitivamente Pedro Bial nem de longe pode ser incluso nesta lista. Portanto Bial, vai apresentar BBB!

segunda-feira, 21 de julho de 2008

VOTAR NULO NÃO É SOLUÇÃO, QUE PENA!

Como havia dito na semana passada, a reunião na futura ex-casa da família Di, Ale e Manu foi muito bacana e proveitosa, tanto que decidi dividir os assuntos em duas partes. Então vamos à segunda parte:
Papo vai, papo vem, começamos a falar sobre eleições. Foi levantada uma bola de que há uma lei eleitoral que prevê a realização de novas eleições caso haja mais de 50% de votos nulos. Pensei: Caramba, vou fazer uma camisa com os dizeres “Vote em branco já!” Finalmente aprendi uma forma legítima e direta para dizer que está tudo errado, que não é desta forma que desejamos ser governados. Porém, quando a esmola é muita, o santo desconfia.

Fui até a internet e pesquisei sobre o assunto. Realmente o código eleitoral diz em seu artigo 224: "Se a nulidade atingir a mais da metade dos votos do País nas eleições presidenciais, do Estado nas eleições federais e estaduais, ou do Município nas eleições municipais, julgar-se-ão prejudicadas as demais votações, e o Tribunal marcará dia para nova eleição dentro do prazo de 20 a 40 dias."

Só que, quando a justiça fala em 'nulidade', refere-se a votos anulados em decorrência de atos ilícitos, como fraudes em documentos, abusos em relação a Lei eleitoral, por exemplo. Não quis se tratar do voto nulo dado pelo próprio eleitor.

Era de se estranhar que esses facínoras fizessem uma lei contra eles mesmos. Mas que seria bom, ah isso seria! Ver a cara da bandidagem tentando arranjar explicação para o fracasso.

Por isso digo e repito: VOTAR NULO NÃO É SOLUÇÃO! Temos sim é que procurar uma agulha que ainda não esteja enferrujada para votar em meio a esse palheiro fedido. O nosso voto nulo só vai ajudar a candidatos exploradores, de ocasião ou de cabresto, como alguns empresários e evangélicos, ou os dois.

Assim sendo, estarei inaugurando na próxima semana, uma coluna ai ao lado intitulada: “Você conhece seu candidato”, pra jogar bosta no ventilador, ou não. Afinal, quem não deve não teme...

terça-feira, 15 de julho de 2008

E HORA DE ATEAR FOGO NO PAÍS!

Sábado fui a um “botafora” na casa do Di e da Alê, um casal que está deixando as longínquas paragens de Jacarepaguá para sorver o vento marinho do Leme. Gente legal, boa comida, bebida, música e papos pra lá de interessantes, que fazem a gente pensar. Tanto que numa coluna só ficaria muito grande, por isso decidi dividir em duas, uma hoje e outra semana que vêm. E a de hoje é a seguinte:
OU A GENTE ATROPELA A HIPOCRISIA, OU A HIPOCRISIA ATROPELA A GENTE
Peço desculpas aos amigos presentes pela exasperação do meu tom de voz, mas é que esse assunto realmente me tira do sério. Conversávamos sobre a lei Seca, quando um assunto veio à tona: Dar ou não propina.
Fiquei pensando na lógica da feira: Numa feira livre quem ganha mais não é o feirante ou o agricultor, e sim o atravessador, só pelo simples fato de disponibilizar o produto de um para o outro vender. Nessa história da “lei seca” acontece a mesma coisa. Quem vai se dar melhor não é o governo que evitará mais mortes no trânsito, ou a população que ficará mais segura ao trafegar pelas ruas. Quem vai se dar melhor será a polícia, que por sinal, já tem até tabela de propina elaborada.

Acordei no domingo e fiquei me imaginando dando “cinqüentinha” para um bandido uniformizado chamado de policial, como se fosse eu um cheirador ralé e inveterado, pego pelos “homens” na descida do morro, com o bolso cheio de “papel”. Não sei se foi a ressaca ou se foi esse pensamento, mas fiquei com um vontade louca de vomitar. Com essa idéia e a dor de cabeça me martelando o juízo, cheguei a uma conclusão:

OU A GENTE ATROPELA A HIPOCRISIA, OU A HIPOCRISIA ATROPELA A GENTE
Precisamos tomar uma posição urgente. Eu, você, todos nós. Nós só vamos mudar o Brasil se finalmente admitirmos que somos fora-da-lei!

Somos fora-da-lei quando inventamos um jeitinho para sonegar o imposto de renda. Ele é arbitrário e injusto, mas é a lei. Somos fora-da-lei quando votamos em alguém apenas pelas benesses que talvez recebamos, seja em dinheiro, comida ou emprego. Somos fora-da-lei quando damos uma esmolinha ao mendigo ou pagamos ao “flanelinha” para ele vigiar nosso carro. O mendigo não vai matar sua fome com dez centavos e tampouco o “flanelinha” vai impedir que seu carro seja roubado. Somos fora-da-lei quando usamos nosso poder econômico ou status social (vide juizes, promotores, desembargadores) para tornarmos exceção à regra, à lei. Finalmente, somos fora-da-lei porque damos propina a policiais, fiscais e outros da mesma corja, para que eles deixem passar nossos pequenos deslizes, mesmo que as regras e leis sejam absurdas, eleitoreiras e inconstitucionais.

Somos fora-da-lei e ponto final! Então, agentes do governo responsáveis pelo bom cumprimento da lei e da ordem, processem-nos e prendam-nos! Pois nós nunca mais vamos lhes dar um centavo! Quero ver se vai existir cadeia e tribunal para um país inteiro. Aí vocês, agentes da lei, vão achar muito trabalhoso, e como trabalho não é uma coisa a que vocês são muito chegados, mudar-se-ão as leis. Aí então, finalmente o país vai pra frente.

Só à título de registro: Neste encontro no sábado, bebi normalmente e voltei dirigindo de Jacarepaguá, lugar que não conheço e me perco sempre, à Niterói, às 3 horas da manhã. Não cometi nenhum acidente, e por sinal, nenhuma falha de trânsito, como avanço de sinal, por exemplo. Nesse “gato e rato” que se transformou o trânsito, venci mais uma. Resultado final: Spitz 1 x Polícia 0.

DEBATER É PRECISO!

A coluna “Se for Dirigir Não Beba, Fume Maconha”, que você poderá ler aí embaixo sobre a “Lei Seca” é mesmo polêmico e por conta disso estou recebendo um zilhão de opiniões diferentes. Uma que vale à pena ler é o comentário que está em anexo à coluna, até porque é um outro ponto de vista, contrário ao meu. Pena que o autor preferiu manter-se anônimo...
Eu da minha vez continuo achando como o meu amigo Ronaldo: “Se a gente vai ter que ficar de cara limpa, quem vai pegar as feias?”, hehehe...

segunda-feira, 7 de julho de 2008

ADO, A, ADO, ESSA DANÇA É DE VIA...

Programas de televisão apresentados por gente sem conteúdo e sem carisMa (mas que ganham um rio de dinheiro), com atrações saídas de um circo de horrores são normais por aqui, principalmente domingo à tarde. É tão deprimente que faz a gente pensar.
Imaginem só a cena: Domingo à tarde, eu deitado no sofá na casa da minha sogra, assistindo o programa da Eliana. De repente entra uma cambada de modelos (elas com cara de quenga, eles com jeito de boiola) todos sem roupa e com os corpos pintados, como se estivessem trajando fantasias de super-heróis. É o que eles chamam de “Body Paint” .
Tudo bem, o trabalho do artista é interessante, valendo uns 10 minutos de matéria. Foi quando percebi que aquilo não era uma matéria e sim um quadro fixo, e que durava mais de meia hora! Chato demais!!! Mas o pior ainda estava para vir...
De repente, do nada, entra um gorda (que graças à Deus não gravei o nome) e começa a cantar: Ado, a, ado, cada um no seu quadrado! Então, os modelos pintados de super-heróis começaram a dançar, cada um em cima de um quadrado pintado no chão!!!! Precisei de um Maracujina para me acalmar, rsrsrsrsrs. Acho que até o Falcão, meu ídolo brega, teria vergonha de uma cena neuro-degenerativa como essa.
Fui para casa pensando. Vai ver que é por isso, ao imenso espaço dado a coisas sem sentido, que a moda hoje não está no futuro, e sim no passado. Quer exemplos, então vamos lá: Emuladores de Atari, camisas de times “retrô”, samba de raiz, rock clássico, forró pé de serra, funk da antiga, e por ai vai... Até o que há dez anos parecia horrível fica maravilhoso, frente ao que é feito hoje.
Achar e investir em gente nova e talentosa custa tempo e dinheiro, Por isso se dá tanto valor a “créus, melancias, quadrados e afins”. É a política do papel higiênico: Você vai cagando e vai usando, cagando e usando, até que, mais ou menos um mês depois (se seu intestino for pouco producente), você dá a cagada derradeira, usa a última folhinha do papel higiênico, joga o rolo velho fora e põe um novo em seu lugar.
Em relação à famigerada “Dança do Quadrado”, tenho uma sugestão para a letra:
Ado, a, ado cada um no seu quadrado,
Ado, a, ado marginal é deputado!

Cacciolla no seu quadrado,
Eurico no seu quadrado,
Juiz Lalau no seu quadrado,
Todo mundo enjaulado!

Ado, a, ado, Garotinho enjaulado!
Ado, a, ado Zé Dirceu indiciado!

segunda-feira, 30 de junho de 2008

AO DIRIGIR NÃO BEBA, FUME MACONHA!


Este texto surgiu de uma sugestão do meu grande chapa Guilherme Siqueira, que fez a brilhante observação: O cidadão não pode beber dois copos de cerveja e dirigir, agora é lei. E se o sujeito fumar 50 gramas de maconha, ou cheirar 10 gramas de cocaína, aí pode? Ou será que vão inventar um maconhômetro ou cocainômetro também?

Para os desavisados, esta não é uma apologia às drogas e sim uma constatação que o Brasil é realmente a “creche do papai”. “Creche do papai” sim, porque se castiga a criancinha que mete a mão na garrafa de álcool, mas não se faz nada para tirar a garrafa de álcool do alcance da criancinha.

O Brasil é o país do mais fácil. Aqui é preferível cercear a liberdade de milhões de cidadãos honestos e responsáveis, que pagam seus pesados impostos, a se punir verdadeiramente aos que cometem crimes. Vou ser mais claro.

Não sou advogado, mas em meu ponto de vista, para existir um crime é preciso que haja uma vítima, mesmo que a vítima seja o próprio autor do crime. Você não pode ser acusado de assassinato ou tentativa de assassinato, seja com dolo ou não, se não há vítima.

Agora nós, milhões de brasileiros, que sempre tomamos nosso chopinho ou nossa caipirinha ou nosso whisky, estamos sujeitos a sermos indiciados se colocarmos a mão no volante, só pelo fato que poderia acontecer um acidente. Seremos julgados por um crime de suposição?

Sou a favor de penas severas a quem realmente comete crimes, seja o autor um pedreiro ou um juiz de direito. Isso não só em relação aos crimes de trânsito. Com uma lei dessas o que vai ter de “puliça” andando de carro importado por aí não está no gibi.

Vai ver nosso “papai” estava bebendo umas caninhas, sofrendo ao assistir ao jogo do “Curintiá” quando deixou passar essa...

terça-feira, 24 de junho de 2008

Prótese Peniana Global

Quanto mais eu penso a respeito da volta de Dedé Santana à Globo, mais visualizo uma única imagem: a de uma prótese peniana. Pra quem não conhece, uma prótese peniana, da mais simples, é um bastão de silicone colocado cirurgicamente dentro do membro masculino de homens impotentes, os famosos "brochas". O artefato funciona da seguinte maneira: Quando o cidadão quiser usar seu "brinquedo", é só colocá-lo em posição de sentido, ereto. Quando não quiser mais é só dobrá-lo em outra posição, pra baixo, pro lado, etc. O negócio é que, tecnicamente, o bicho fica sempre preparado pro serviço.

Para as mulheres deve ser até legal, porque o camarada pode "ficar em pé" o tempo necessário para que elas tenham quantos orgasmos quiserem. Só que para o ele a relação sexual causa o mesmo frisson que ler um gibi do Wolverine ou da Mônica. Sim, porque o tesão está na cabeça e não no "mastrúcio", e aí já viu... A maioria esmagadora de toda brochice humana começa justamente pela cabeça, a de cima.

Porque estou falando isso mesmo, hein?! A sim, por causa da reconciliação da eterna dupla de trapalhões Dedé e Didi. Alguém acha que há sinceridade nisso? O que há mesmo é a necessidade de continuar na mídia, e principalmente, abiscoitando mais algumas moedas. Então vejamos:

Beto Carrero morreu, deixando Dedé Santana e aquela trupe de palhços sem graça desempregados. Por sua vez, Renato Aragão e seu programa mequetrefe dão traço de audiência, o que é altamente indigesto para a emissora global. Para resolver o problema de todo mundo, arquitetaram essa farsa.

Porém, como expliquei anteriormente, o tesão está 99% concentrado na cabeça, a de cima. E assim acontece com os ex-comediantes em atividade que já foram ídolos de toda uma geração (inclusive os meus). Trabalham, mas não tem mais tesão. Fazem um programa de humor que não faz ninguém rir. Se comportam como prótese peniana ao invés de pendurarem a chuteira com dignidade.

Notícias Glandiosas - O Defenestrador de Veículos


Esse maluco aí em cima é conhecido por "enrabar" mais de 500, isso mesmo, 500 automóveis. Entre suas "namoradas" estão celebridades com Herbie de "Se Meu Fusca Falasse" e o carro da "Supermáquina". (Ele até parece com o Didi Mocó, da matéria aí em cima, rsrsrsrs) Para conhecer mais, visite o blog de O Palavrão, no endereço: http://elpalavrao.blogspot.com/

sábado, 14 de junho de 2008

Torcendo Para o Neto do Capeta!


Eu nunca pensei que um dia chegaria a dizer isso. Sinto vergonha só em pensar, mas admito: Nesta semana que passou, ao assistir à matéria sobre a votação da CSS na câmara dos deputados em Brasília e ficar conhecendo o resultado do pleito, não resisti e gritei “Valeu ACM Neto.”

Torcer para que o neto de Antônio Carlos Magalhães, o famoso Toninho Malvadeza, e seus comparsas ajudem a emperrar mais esse desmando irracional do governo Lula, um governo que vêm se notabilizando pela cara-de-pau, é o fim da picada. Mas infelizmente é o que nos resta.

Para quem não sabe, a CSS (Contribuição Social para a Saúde, acho que é isso) está sendo votada na câmara e no senado. Caso seja aprovada representará a volta da CPMF. O governo diz que não tem como investir em saúde sem o dinheiro da antiga CPMF, agora CSS. Só que esse dinheiro NUNCA foi integralmente direcionado à saúde, pelo menos à saúde do povo brasileiro.

O governo ganhou na câmara por uma diferença de 2 votos, o que pode ser considerado uma derrota, mediante a maioria de larápios, perdão, parlamentares a seu favor. Por obra e graça de ACM Neto e sua turminha, a chance de aprovação da CSS fica mais difícil, porque no senado o buraco é mais embaixo.

Fico pensando o que Herbert Vianna (acho que é assim que se escreve) diria hoje ao escutar sua própria música: “Luis Inácio falou, Luis Inácio Avisou...”

Na verdade, caso a CSS seja detonada, Lula e seus asseclas, inclusive e principalmente a ministra Dilma Roussef, a irmã pobre do Darth Vader, irão inventar uma sigla nova para nos enrabar.

Sendo assim só tenho um pedido a fazer ao nosso sultão de 9 dedos: No momento em que esse novo imposto for aprovado, pense só um pouquinho na saúde da população. Libere a distribuição gratuita de KY. O fiofó do povo agradece.

Notícias Glandiosas - Pornografia Une Árabes e Judeus em Israel

Inspirado no lema "Faça amor, não faça guerra", Avi Levy, um profissional da área de tecnologia da informação de Tel Aviv decidiu mostrar ao mundo que não há diferença entre os povos, principalmente na horizontal. Ele e mais um sócio acabam de criar um site com filmes pornô com homens e mulheres judeus ou árabes israelenses mandando ver no velho esporte bretão.

Avi Levy deixa claro que o site não tem caráter político e que o objetivo principal é ganhar dinheiro mesmo, mas seu caráter politicamente correto transformou-o em um imenso sucesso, não só no oriente médio, como também na europa e e em outros lugares do mundo. Todo mundo quer ver árabes e israelenses embolados num "vuco-vuco" .

O elenco dos filmes é amador e os títulos são pra lá de curiosos, como "a filha do rabino", "orgia em Jerusalém" e "lésbicas kosher". Para quem quiser conhecer, o endereço é http://www.parpar1.com/.

Para mais notícias ousadas de um mundo devasso, visitem o blog que é herdeiro direto do jornal mais sacana do país, O Palavrão. Esta semana elpalavrao.blogspot.com estará com uma matéria sobre mulheres que unem o prazer de pedalar ao prazer sexual num verdadeiro "spinning de pomba". Não percam!